Notícias
Home Artigos Água doce 5 segredos que seu kinguio (Carassius Auratus) esconde de você.

5 segredos que seu kinguio (Carassius Auratus) esconde de você.

5 segredos que seu kinguio (Carassius Auratus) esconde de você.
5 (100%) 1 voto

Você pode pensar que conhece seu peixe dourado, mas suas origens e biologia são mais estranhas do que você possa Imaginar. Kinguio pode ser um pouco “bobalhão”, né? Eles não são tão populares como gatos ou cães como animal de estimação, presumivelmente devido a forma diferente que eles interagem. Eles nadam ao redor do aquário, abrindo e fechando a boca, sem parar de atormentar o seu gato com a promessa de um saboroso lanche, além de reconhecer o dono quando se aproxima ( ̶o̶u̶ ̶a̶p̶e̶n̶a̶s̶ ̶e̶s̶t̶á̶ ̶c̶o̶m̶ ̶f̶o̶m̶e̶).

Há mais sobre esse peixe do que ele realmente aparenta. Aqui estão cinco coisas que você provavelmente não sabia sobre o peixinho. Aviso: pode conter álcool.

Segredos que seu kinguio (Carassius Auratus) esconde de você.

1- É o peixe mais judiado

O Kinguio é um dos peixes mais conhecidos na mídia internacional. O famoso “goldfish” já pareceu em filmes, seriados, desenhos, programa de TV… e curiosamente sempre associado ao aquário redondo.

Kinguio Hello Kitty
Desenho do Hello Kitty

Sabemos que o aquário redondo não é o melhor local para o peixinho dourado (Carassius carassius), o peixe pode chegar até 30 cm e o pequenino aquário pode dificultar a sua saúde, chegando até a morte! Leia: Aquário redondo: Porque não usar e 10 alternativas mais adequadas.

2- O Peixe Dourado originalmente foi criado por causa de sua carne.

O peixe dourado não começou sendo criando como um “Pet”, mas sim como jantar. O peixe dourado atual é uma versão domesticada da carpa selvagem do leste da Ásia. Seus ancestrais selvagens eram verde-cinza. Conhecidos como “chi”, era um dos mais comuns peixes comidos na China.

O Peixe Dourado originalmente foi criado por causa de sua carne.

De vez em quando, um acidente genético produzia um peixe que era um brilhante vermelho, amarelo ou laranja. Na natureza, esses peixes se destacaram e eram devorados por predadores rapidamente. Mas, no século IX povo chinês – principalmente monges budistas – começaram a manter os peixes em lagoas, onde estavam a salvo de predadores. Segundo a lenda, o governador Yen-Ting tsan descobriu um Kinguio dourado e amarelo em uma lagoa fora da cidade de Jiaxing. A lagoa, em seguida, tornou-se  “a lagoa da misericórdia”.

Na tradição budista, é uma boa ação deixar um animal livre, especialmente se o animal é raro. Por isso, tornou-se prática comum em toda a China o Kinguio de cor rara ser poupado da panela e lançado em lagoas. Os registros oficiais documentam uma acumulação de Kinguio coloridos em lagoas em torno de 975 CE.

Mas há pelo menos 100 anos, eles não eram diferentes dos Kinguios selvagens. Ao contrário dos animais domesticados, o peixe dourado se escondeu dos seres humanos e não comia a comida que foi dada a eles. “Eles eram cativos e exploradas para fins religiosos”, de acordo com a EK Balon da Universidade de Guelph, em Ontário, Canadá.

3- O aquário foi uma tecnologia disruptiva

Por volta de 1240 dC, o peixe dourado foi domesticado e distinto de seus antepassados. Eles eram mansos e facilmente comiam a comida que receberam. Em lagoas públicas, o peixinho viveu ao lado dos kinguios selvagens, tartarugas e outros peixes. Mas aqueles que podiam pagar para construir suas próprias lagoas em terrenos privados tendem a armazená-las apenas como um belo peixe colorido.

Lago de KinguiosImagem de Aido Bonsai

Com a abundância de peixes em mão, ficou mais fácil para os seus donos cruzarem seus peixes, para torna-los com aparências desejadas. De acordo com Balon, isso começou em 1163 na lagoa de Te Shou Palace na cidade de Hangchow.

4- Kinguio é uma espécie invasora

Dito isto, algumas raças  do peixinho são mais resistentes do que os outros, e eles podem ser pragas reais. Um estudo no Reino Unido encontrou pelo menos cinco variedades invasoras se desenvolvendo muito bem em lagoas. Enquanto os “selvagens” são nativos para os rios e lagos do leste e na Ásia central, o peixe dourado é encontrado em toda a Europa, África do Sul, Madagascar, e nas Américas, bem como ilhas na Oceania e Caribe. A maioria das populações começaram com a libertação deliberada de animais indesejados ou fugas dos reprodutores ou de distribuidores.

Kinguio é uma espécie invasora
Invasão de Kinguios (Carassius auratus) no lago do Colorado

Na Europa, eles representam uma ameaça pelo cruzamento com a carpa Carpa nativa (Carassius carassius), e em Nevada, eles competem com o Pahrump Killifish (Empetrichthys latos). Eles podem acabar com plantas aquáticas por excesso de forrageamento.

Um estudo também sugere que eles espalham tanta lama que outras espécies lutam para encontrar alimento. Um estudo de 2001 descobriu que peixe dourado come ovos e larvas da salamandra de dedos compridos.

Ambystoma macrodactylum columbianum
Ambystoma macrodactylum columbianum

Uma vez que eles normalmente não comem ovos, os peixes dourados são rápidos aprendizes, se veem outra alimentação de peixes diferente da qual está acostumado e são susceptíveis de começar a consumi-las, e se apenas um peixe descobrir como consumir a nova alimentação, e o consumo pode rapidamente se espalhar pela população graças a aprendizagem social. O peixe dourado come os ovos e larvas de salamandra com tal fervor que eles foram capazes de eliminar os “anfíbios do norte de Idaho de habitar locais de reprodução adequados”, dizem os pesquisadores.

5- Eles nos ajudam a compreender a nossa visão e bebidas

O peixe dourado tornou-se comuns em laboratórios, talvez porque eles são simples de treinar e de fácil obtenção. Eles são um dos animais mais estudados no campo da percepção visual e cognição. Eles podem perceber as mesmas cores que nós humanos, o que nem todos os primatas podem fazer, tornando-os um animal de estudo ideal. Exceto o peixe dourado juvenil não conseguem ainda ver a cor azul, mas melhora à medida que envelhecem, assim como padrão repetido em bebês humanos. Em um aspecto eles são diferentes de nós: enquanto os seres humanos têm três tipos de “células-sensing” de cor em nossos olhos, peixe dourado tem um quarto tipo de receptor de cor que lhes permite perceber a luz ultravioleta. Mas, apesar disso, os seus outros três sensores de cor são uma excelente analogia com o nosso.

Eles nos ajudam a compreender a nossa visão e bebidas
Imagem de Handout / Reuters

Os peixes dourados são também particularmente úteis para compreender os efeitos do álcool sobre o cérebro e o corpo. Isso porque “a concentração de álcool no sangue aproxima rapidamente a concentração de álcool na água em que nadam”, de acordo com Donald Goodwin, da Universidade de Washington em St Louis, Missouri e seus colegas em 1971. Isso significa que você pode medir a embriaguez de um peixe dourado de forma não invasiva, apenas por saber o quanto álcool está em seu aquário.

Goldfish Klaus Heissler
Klaus Heissler

Em 1969, Ralph Ryback do hospital da cidade de Boston, em Massachusetts usou esse fato para ver como concentrações diferentes de álcool afetam os peixes dourados em aprender. Acontece que os peixes que nadam em uma solução de Bourbon são mais prejudicados do que aqueles nadam na vodka. Então agora você sabe.

Colabore conosco. Sintam-se a vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto.

Fonte: BBCFour Secrets your goldfish is hiding from you
Tradução: ‎Ulisses Rosa
Edição/adaptação: André Albuquerque

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre Ulisses Rosa

Tradutor. Funcionário público, natural de Curitiba, morando em Maceió há 3 anos. Na verdade sou mais um entusiasta do que aquarista, desde pequeno sempre fui vidrado por esse mundo dentro de vidros que "brilhavam" em minha frente, mas só fui ter meu primeiro aquário muitos anos depois. Um pequeno cubo de 2 litros com uma divisória no meio e um Betta em cada lado. Após alguns anos, montei um maior de 230 litros.

Veja também

Peixe mais velho do mundo em cativeiro é sacrificado

Vote neste artigo O Peixe-pulmonado-australiano (Neoceratodus forsteri), o peixe mais velho do mundo mantido em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *