Notícias
Home Artigos Aquário redondo: Porque não usar e 10 alternativas mais adequadas.

Aquário redondo: Porque não usar e 10 alternativas mais adequadas.

Aquário redondo: Porque não usar e 10 alternativas mais adequadas.
4.4 (88%) 5 votos

O mundo evoluiu e o aquarismo também, não existe mais desculpas para utilizar o aquário redondo com Kinguio.

English Version

English Version

The Fish Bowl

This article is designed to dispel the myth that a basic glass bowl is a good place to keep a fish. It is not.

History of the Bowl

The fish bowl origin starts first with the Romans and then in 1300AD in China. Back then the Chinese were just developing the Goldfish we know today. They would keep ponds full of Goldfish in their houses. They would have large ceramic bowls with pretty fish patterns inside and out. When they had visitors or for special occasions they would take the Goldfish out of the pond, and put them in these bowls. When the event was over, those fish went back to their nice big pond. Over the decades, especially popular in the 1800s, these bowls turned into glass ones and having a little fish in your house sat on a table became common decorations.

So why can’t I have a fish in a bowl?

This is the 21st century. After years and years of analysing and studying we know what happens when a fish is in a container of water. We know how nitrifying bacteria behaves. We know why the water goes cloudy and smells if the water is not maintained. And we have invented nice big fish tanks, filters and pond filters to improve these animal’s lives. We know about the Nitrogen Cycle. It is with this knowledge that we know that maintaining the water quality fish need to thrive is near impossible in a small container without a proper mature filter.

Typical fish sold for bowls

The most common fish housed in a bowl is the Goldfish. The traditional Goldfish bowl. However we know that these fish are high waste producers, they grow very large and should live a very long time. Bowl kept Goldfish often end up stunted by poor water quality (not by tank size) and end up dying long before they’re even sexually mature. The second most common fish housed in a bowl is the Betta splendens. This is backed up with the myth they live in puddles, which is false. They originate from vast, warm, densely planted rice paddies and swampy water. A glass bowl cannot be heated easily and in cold water a poor Betta will be lethargic and eventually die. They do need good water quality in order for those long fancy fins to not develop bacterial infections too, which means they need that mature filter.

The exception

There is one exception to the no-fish-in-a-bowl rule. Those that follow the el natural/walstad method. This involves using earth as substrate and very dense planting. However, any living organisms in these set ups are best being low waste producers as it is a very delicate balance. Goldfish do not fall into this category and eat live plants anyway! Often Walstad tanks still have mechanical filtration and are not completely without a equipment.

The moral of this story

A fish bowl is not a suitable home for fish. It is too small, too unstable, and will result in fish that are sickly, lethargic and eventually die.

Um pequeno recipiente de vidro é um bom lugar para seu peixe? Não é!

Fish-PondA arqueologia já encontrou vestígios da criação de peixes em tanques no Egito, datados de 4000 anos atrás.  Em gravuras e pinturas observam-se peixes em tanques, supostamente mantidos como reserva de alimento ou para observação em  prováveis rituais adivinhatórios.
Estudos arqueológicos também indicam que em casas mais abastadas no império romano  havia vasos de vidro para acomodar peixes, isto com intuito estético. Na Grécia, Aristóteles descreveu cerca de cento e quinze espécies de peixes, dando origem a ciência da ictiologia.
Em 1300 d.C., na China, já se desenvolvia o peixe dourado (Carassius auratus). Mantidos em lagos, eram levados para dentro de casa em ocasiões especiais  e colocados em grandes tigelas de cerâmica finamente decoradas para serem apreciados.

No século XVI, período das grandes navegações, a criação e manutenção de peixes ornamentais em globos de vidro difundiu-se em toda a Europa ocidental através dos portugueses. Apenas no século XIX surgem os primeiros aquários com o formato que conhecemos hoje. Até então, só há registros de peixes criados em frascos de vidro.

 

Então por que não posso ter um peixe em uma tigela/vaso/bowl?

Estamos no século XXI. Depois de anos de desenvolvimento da ciência em tantos campos, sabemos o que acontece quando mantemos um peixe em um pequeno recipiente. Sabemos sobre o ciclo do nitrogênio, como as bactérias nitrificantes se comportam, porque a água turva e apresenta odores desagradáveis quando não é mantida adequadamente.
Fabricam-se tanques/aquários de várias proporções e muitos equipamentos e suplementos foram desenvolvidos para melhorar a vida destes animais.  E a partir deste conhecimento é que sabemos como uma montagem e manutenção de qualidade revertem em benefício para o peixe, algo quase impossível de se obter em um recipiente pequeno e sem um filtro.
5145521484_7d2f72e5c7Dois peixes são mais comuns alojados em recipientes, sendo o primeiro deles o Kinguio (Carassius auratus). Sabemos que estes peixes produzem uma carga elevada de excrementos e excretas, que crescem muito e vivem um tempo longo. Em um pequeno recipiente de vidro o kinguio acaba atrofiado tanto pela má qualidade da água como pela completa indisponibilidade de espaço.  Isto resulta em morte, muitas vezes antes mesmo de sua maturidade sexual.
O segundo peixe em questão é o Betta  (Betta splendens), com base no mito de que vivem em poças de água e na verdade de que podem usar o oxigênio atmosférico em sua respiração. Estes peixes têm sua origem em águas quentes e pantanosas de grandes arrozais. O recipiente de vidro não pode ser aquecido de forma fácil e em água fria o betta tende a ficar apático, contrair doenças e morrer. Precisam de espaço e água de boa qualidade para que sua longas nadadeiras se desenvolvam sem  infecções.

Há uma exceção à regra que são os aquários conhecidos como natural planted tank (NPT) ou el natural, com técnica de montagem e manutenção desenvolvidas por Diane Walstad. Sem entrar em detalhes, baseia-se em uma grande densidade de plantas, limitadíssima quantidade de peixes (de pequeno porte, que não produzam muitos resíduos) e, conforme a ideia original, sem o uso de qualquer equipamento.  Kinguios não se enquadram nessa categoria! Muitas vezes, os tanques montados com este método têm filtragem mecânica, deixando de ser isentos de equipamentos.

incompatibilidade peixe japones

 Clique na imagem abaixo e compartilhe no FacebookNão use Aquário redondo

Conclusão

Um aquário definidamente não é um lar adequado para o peixe e por isso devemos nos aproximar o máximo possível das condições naturais em que vive quando montamos o tanque. Então evite aquários pequenos. Imagine como você ficaria em um local tão limitado. É uma vida que depende totalmente de seu cuidado, respeite!

Para evitar que os aspirantes  usem “recipientes” como aquário para Kinguio, abaixo vou mostrar 10 imagens para reutilizar esses recipientes de outra forma, um pouco mais natural do que estamos acostumados ver. A nossa sugestão de fauna são pequenos invertebrados ou Bettas.

1- Pequenos recipientes plantados com 0.5L, 3L e 4L. (Créditos Oleg Foht)

Oleg Foht

2- Pequeno ternário. (Montagem Biorbair)

biorbair

3- Para deixar seu Betta um pouco mais feliz, que tal plantas? (Créditos no link)

Plantado betta

4- Iwagumi em um aquário redondo para Red Cherries (Créditos Rastaman)

Bowls Iwagumi

Shand Aquascape

5- Terrário temático (Créditos: Terrarium Scene)

Terrarium Scene

6-  Aquário plantado redondo de 12L sem fauna (Créditos no link)

James Starr-Marshall

7 – Gostei desse, foi usado a técnica DSM (Créditos: Idleivey)

Aquário redondo

8- Mais um Iwagumi! (Créditos e o passo a passo no link)

Iawagumi miniatuira

9- Pequeno “lago”

Pequeno lago

10 -Plantadinho (Créditos: Sensuous)

Aquário pequeno

Bônus!

Pequenos aquarios

By Oleg Foht Oleg Foht - Miniature aqua

Referências: The Aquarium Wiki
Adaptação e revisão: André Albuquerque e Solange Nalenvajko

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre André Albuquerque

Analista de mídias sociais e aquarista desde os 6 anos. Meu falecido irmão tinha uma carcaça da geladeira onde havia muitos peixes e plantas, tudo aquilo brilhava nos meus olhos, até hoje tenho o suporte de aquário que ele me deu. Magia é ver as plantas crescendo e todo tipo de fauna se reproduzindo dentro de uma caixa de vidro.

Veja também

Plantando musgos em tela inox

Plantando musgos em tela inox5 (100%) 2 votos Saiba como plantar musgos em tela inox …

3 comments

  1. Me desculpe a indiscrição, mas não há o risco de se alojar larvas de mosquitos nestes recipientes?

  2. Vc pode até mandar fazer em uma vidraçaria, aquários retangulares e um pouco maiores, fica mais fácil de trabalhar com plantas… até mesmo pq precisa de circulação de água com uma bombinha, com um aquario pequeno assim , trará problemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *