Notícias
Home Dulcícola Apreensão de peixes ornamentais com espécies desconhecidas

Apreensão de peixes ornamentais com espécies desconhecidas

Apreensão de peixes ornamentais com espécies desconhecidas
4.5 (90%) 10 votos

Grande apreensão de peixes ornamentais com espécies desconhecidas em Manaus.

A Polícia Federal realizou neste sábado (14/10)  uma grandee apreensão de peixes ornamentais, totalizando 672 espécimes no aeroporto de Manaus. O caso chamou a atenção pela quantidade recorde de espécies – sete ao todo, das quais uma está ameaçada de extinção e ao menos duas ainda não foram catalogadas pela ciência.

Os animais estavam dentro de dezenas de sacos plásticos que ocupavam três malas grandes. Com eles, foram presos o estudante Jhon Batalha Coelho, 23, e o técnico de segurança Leandro Martins dos Santos, 25. Os dois tentavam embarcar para Tabatinga (cidade amazonense na tríplice fronteira com o Peru e Colômbia).

De lá, provavelmente cruzariam a fronteira seca com a Colômbia, hoje a principal rota de contrabando de peixes ornamentais brasileiros, que têm grande mercado no Japão e em outros países ricos. Levados pelo Ibama para o Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), os peixes foram retirados dos sacos plásticos e reacomodados em grandes tanques. Muitos apresentavam escoriações pelo corpo. Duas arraias e alguns outros peixes menores morreram.

Segundo o analista do Ibama Daniel Abrahão, esta foi a maior apreensão registrada na Amazônia em relação à quantidade de espécies. “Isso indica que os traficantes estão contrabandeando cada vez mais a nossa fauna.” A soma das multas aplicadas aos dois pelo Ibama chega a R$ 3,04 milhões. Ambos foram autuados por crime ambiental e tentativa de contrabando, mas acabaram liberados na tarde deste domingo

De acordo com o delegado Wesley Aguiar, responsável pela apreensão, os dois eram mulas, em esquema semelhante ao do narcotráfico. Ele explicou que também devem ser indiciados pelo crime de receptação. A espécie mais valiosa é o Acari-zebra (Hypancistrus zebra), endêmico de um pequeno trecho do rio Xingu e sob ameaça crescente de extinção após ter seu habitat reduzido pela construção da usina de Belo Monte, em Altamira(PA).

Nos Estados Unidos, o preço por unidade gira em torno de R$ 1.100. Responsável pela custódia dos peixes, o pesquisador do Inpa Jansen Zuanon explicou que todos vieram da bacia do rio Xingu e que ao menos duas espécies ainda não foram descritas cientificamente e uma terceira espécie precisará passar por uma análise mais aprofundada.

Zuanon explicou que a situação que mais preocupa é a do acari-zebra. “A Belo Monte destruiu o principal habitat da espécie, e esse comércio clandestino aumenta a pressão do que sobrou dessa população.” O pesquisador afirma que um acordo com a Colômbia para proibir o comércio de acari-zebra diminuiria o contrabando. Ele também defende a instalação de pontos de inspeção nos aeroportos menores da Amazônia.

Fonte: Folha de São Paulo – “Mega-apreensão de peixes em Manaus tem até espécies desconhecidas”
Imagens: Policia Federal/Divulgação, Fabiano Maisonnave/Folhapress

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre AquaA3

Somos um site de aquarismo feito por pessoas que respiram quase que sempre debaixo d’água. Dulcícola ou marinho, nano ou jumbo, plantado ou apenas peixes. Parceria, união e o verbo somar. É assim que fazemos aquarismo. Faça parte deste time!

Veja também

Guppies: entenda as diferenças comercializadas

Guppies: entenda as diferenças comercializadas5 (100%) 2 votos Conheça as três principais diferenças dos guppies …

2 comments

  1. Situação dificil essa que estamos vivendo, as autoridades Brasileiras sabem do problema, sabem que é real e mesmo assim insistem em continuar no desinteresse de utilizar de meios para acabar com isso, o IBAMA tem sua parcela de culpa nisso, pois não ajuda nós aquaristas a termos projetos de criação para peixes ornamentais, visto que isso geraria muita receita e que dá certo, tendo como exemplo paises asiaticos, não adianta de nada colocarem noticias sobre contrabando, julgarem pessoas e depois soltá-las, se o real problema é o orgão não criar formas que ajudem a realmente salvar a ictiofauna do Brasil, acredito que apesar dos avanços brasileiros na aquariofilia há ainda uma grande barreira a ser transposta, e se não abrirmos os olhos, será tarde demais…

    • o que falta mais de todo, é a real protecao da naturaleza, o que nao esta sendp feito, cada minute mais deforestamente, mais queima a floresta primaria (e milliones de formas de vida natura), cad dia mais lugares aonde ainda uma vez tinha peixes (ornamentais que vivem nas beiras nao na profundidade), estao sendo complatamente destruidos e milhares de especies ja foram extincos. Nemuma pessoa fala dista, so se fala de um contrabado de como este de 600 e pocas especies, que realmente nao é nada, e nao ajuda nem um poca, a nao ser a PF corrupta. A IBAMA protege e prohib peixes de ser capturados, mais nao evita a destruicao total dos habitats dos mesmos. 16 mil toneladas de peixes mortos em um dia abaixo de Belo Monto, nemguem fala disto, e isto foi so num dia, e naturalmente causa da hydroeletrica… E agoras estao abrindo uma passagen pelo Tapajos, afim de transportar as milhoens de tonelades de soya para exportancao para a China via flivial. Eu ainda vi o Amazonas no Brasil intoxado, hoje nao sobra (depois de 50 anos), menos da metade, e nao tem fim ate vai todo para vacas, soya, mineiros, petrolio, etc. Vao somente para quando nao tem mais nada. Mas fazer publico que encontrarao contrabando de 600 especies, este é muito importante, mais do que qualquer protecao, or destruicao…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *