Notícias
Home Artigos Água doce Curso Piscicultura Ornamental – CONBEP 2015

Curso Piscicultura Ornamental – CONBEP 2015

Curso Piscicultura Ornamental – CONBEP 2015
Vote neste artigo

Deu inicio no dia 04 de outubro de 2015, o XIX Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca (CONBEP). Uma ótima surpresa para os amantes do aquarismo, vários trabalhos com peixes ornamentais, pesquisas envolvendo o Acari Zebra (Hypancistrus zebra), Acará Severo (Cichlasoma severum), Betta (Betta splendens), Kinguio (Carassius auratus), entre outros que com o tempo postarei aqui e vocês visitantes do Aquaa3 terá acesso livre. (Confira o slide completo no link ou logo abaixo)

Curso Piscicultura Ornamental - CONBEP 2015

As atividades do CONBEP está composta por 18 conferências, 16 mesas-redondas e 8 minicursos. Confira a programação completa no link.

Os minicursos ocorreram no primeiro dia, para nós o mais interessante foi o de Piscicultura Ornamental do amigo e Professor Leopoldo Barreto, Engenheiro de Pesca, docente da Universidade Federal do Recôncavo Baiano e colaborador do AquaA3. E sobre este, irei discorrer um pouco mais e ao final do post você poderá visualizar o arquivo na integra da palestra que o Leopoldo disponibilizou em PDF.

Apresentação completa do curso “Piscicultura Ornamental”.

Inicialmente Leopoldo falou sobre os cursos de graduação que formam profissionais na áreas de aquicultura, do mercado de trabalho e da produção. Segundo ele é um mercado crescente e em constate modificação em virtude do hobby ser algo mutável e depende da cultura e da economia.

Professor Leopoldo Barreto no curso Piscicultura Ornamenta

Abordou um pouco da sua experiência no aquarismo, seus trabalho na graduação e após ela, com a Fundação da Empresa Aquariomania em 2000. Apesar de não fazer mais parte do quadro societário, a empresa continua com corais e peixes marinhos.

Coleta do peixe Acará-disco
(Créditos Felipe Mario)

Levantou a problemática do extrativismo de peixes ornamentais, onde o Brasil possui um grande parcela deste mercado mundial com peixes amazônicos e marinhos do nordeste. A captura visa não mais a captura de grande quantidade de indivíduos, mas de indivíduos de qualidade que agrega valor, diminui a mortalidade no transporte e remunera melhor o pescador (Comércio Justo ou Fair Trade), a exemplo do Sr. Hudson da empresa Hekdiscus Crizanto, que captura Discus selvagem, entre outros lugares da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu Purus administrada pelo ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, e recebe o certificado de qualidade e manejo sustentável do IBAMA/ICMBIO.)

A necessidade dos peixes ornamentais

O professor focou na fisiologia e comportamento dos peixes, estratégia reprodutiva: tipo de desovas e os mecanismos que envolvem a reprodução, tipos de desovas, táticas de desovas. Explicou e deu exemplos dos sistemas produtivos, extensivo, semi-intensivo e intensivo, vantagens e desvantagens, e estruturas utilizadas em cada sistema de produção. Desenvolveu a questão do empreendedorismo, que para ele antes de qualquer coisa deverá ser realizado um estudo de mercado, planejamento para escolha das espécies, áreas, estrutura/equipamento utilizada e tempo destinado para a atividade. Bem como o recurso financeiro para o investimento.

Percentual de família de peixes ornamentais mais utilizadas no varejo

 

Na parte da tarde falou sobre a qualidade de água e sua influencia sobre a criação, pH, compostos nitrogenados, entre outros parâmetros que muitas vezes são esquecido pelo hobbista e produtor. Falou dos equipamentos de filtragens, novidades e sua necessidade, e dos sistemas de cultivo outdoor e indoor.

Algumas questões interessantes no curso que merece maior destaque

  • O que é mesmo um organismo aquático ornamental? Todo e qualquer animal e/ou vegetal que se destine ao uso em aquários, lagos, tanques, para decoração e/ou coleção…
  • Por que peixes ornamentais? Melhor retorno por área cultivada dentro do agronegócio, forte tendência dentro do mercado PET, suprir a demanda do mercado com um produto ‘selo verde’…
Mecanismos reprodutores dos peixes
Gonocorismo (Bissexuados)

OVULIPARIDADE: Eliminam gametas na massa d’água, com fecundação e desenvolvimento externo;

aruanã com filhotes na boca
Aruanã, exemplo clássico de Oviparidade. Imagem via Buzzkito

OVIPARIDADE: Ocorre fecundação interna e desenvolvimento externo, similar às aves;
OVOVIPARIDADE: A fecundação e o desenvolvimento são internos, sendo o ovo liberado com o embrião já desenvolvido, ainda dentro da casca;
VIVIPARIDADE: A fecundação e o desenvolvimento são internos, com diferentes relações de dependência trófica entre o embrião e o corpo materno.

Hermafroditas

Possuem gônadas que atuam como ovários e/ou como testículos, o hermafroditismo pode ser:
SIMULTÂNEO: As gônadas apresentam, ao mesmo tempo, porções femininas e masculinas. Ex. Serranus scriba

SEQUENCIAL: com dois tipos:

Amphiprion akallopisos - protândricas
Amphiprion exemplo de hermafrodita Protândrico (Créditos: Divemecressi/Flickr)

– Protândricos: as gônadas funcionam primeiramente como masculinas. Ex. Amphiprion spp.
– Protogínico: é o tipo mais comum, sendo que as gônadas funcionam primeiramente como femininas. Ex. Epinephelus

Partenogenéticos

Desenvolvimento do ovócito sem qualquer interferência espermatozoide. Este mecanismo só foi constatado experimentalmente em laboratório (Vazzoler);
Comum na Ordem Squamata (réptil), mas  pesquisa descobre casos de partenogênese em tubarões fêmeas. Uma equipe de pesquisadores americanos e irlandeses descobriu que algumas fêmeas de tubarão podem se reproduzir sem a presença de machos, informa um artigo publicado pela revista “Biology Letters”. Três fêmeas capturadas antes de alcançarem a
maturidade sexual que ficaram mais de três anos em cativeiro. (23/05/2007)

Hibridogêneses

Populações também constituídas apenas por fêmeas, neste caso diplóides; os óvulos são fertilizados por espermatozoides de uma espécie afim. Ocorre fusão gamética (híbridos verdadeiros), o genótipo dos pais se expressa nas fêmeas híbridas, contudo
estas não transmitem nenhum gene paterno para seus descendentes, porque perdem na meiose (Vazzoler). Ex. Poeciliopsis
Superfetação

Heterandria formosa
Heterandria formosa (créditos: Brian Gratwicke/Wikimedia)

É um caso particular de fecundação interna, em que ocorre armazenamento dos espermatozoides nas paredes dos ovários, e estes ficam ativos longos períodos, fecundando vários lotes de ovócitos. Alguns espermatozoides podem viver até 10 meses e fecundar 9 lotes de ovócitos, com intervalos de 10 dias; este mecanismo foi constatado em 32 espécies de Glandulocaudinae (Burns et al., 1995). Ex. Heterandria formosa (Poecilídeo) :: Glandulocaudinae

Desova dos peixes

SEMÉLPARAS: Apresentam apenas um evento reprodutivo, seguido pela morte do progenitor.
ITERÓPARAS: podem se reproduzir repetidamente, gastando seus recursos em uma reprodução e sobrevivendo para um próximo evento reprodutivo.
Desova Total: Desova a cada período reprodutivo; apenas um lote de ovócitos é liberado. Ex. Prochilodus
Desova Múltipla ou Parcelada: vários lotes de ovócitos são liberados por período reprodutivo. Ex. Cyprinus carpio
Desova Intermitente: sem período reprodutivo definido.

Apresentou as principais famílias para cultivo, exemplificando uma espécies de cada família, seus métodos utilizado no manejo, reprodução, cultivo e alimentação. E terminou apresentando as espécies como Arraias (Potamotrygonidae), Aruanã (Osteoglossum) Ciclídeo anão (Apistogramma), Corydoras (Callichthyidae) e Cascudos (Loricariidae) que possuem maior perspectivas de futuro, tanto como demanda para o hobby como interesse para cultivo comercial e de pesquisa.

Participantes do Curso Piscicultura Ornamental

Ao final foi realizado a entrega dos certificados e tirado fotos e selfies com todos os participantes para registro.

Colabore conosco. Sintam-se a vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto.

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre Fabrício Ramos

Consultor na área de produção de organismos aquáticos - Diretor Setor de Aquicultura, Empresa Alimento Seguro Consultoria e Treinamento Ltda. Aquarista desde os oito anos de idade. Experiência no desenvolvimento de pacotes tecnológico para várias espécies, montagem de laboratório de produção em larga escala para peixes e alimento vivo, zooplâncton e fitoplâncton. Tanto marinho como de água doce.

Veja também

Peixe mais velho do mundo em cativeiro é sacrificado

Peixe mais velho do mundo em cativeiro é sacrificadoVote neste artigo O Peixe-pulmonado-australiano (Neoceratodus forsteri), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *