Notícias
Home Espécies Palhaço pércula pode entrar em lista de espécies ameaçadas

Palhaço pércula pode entrar em lista de espécies ameaçadas

Palhaço pércula pode entrar em lista de espécies ameaçadas
Vote neste artigo

Palhaço pércula Foto de Michael Johnson.

A National Marine Fisheries ServiceNOAA (agências estadunidenses de proteção da biodiversidade marinha) anunciaram que o peixe palhaço pércula verdadeiro (Amphiprion percula) – famoso por causa do filme Procurando Nemo – pode garantir sua preservação ao ser incluído na lei  “U.S. Endangered Species Act” devido às ameaças provocadas pelo aquecimento global e acidificação dos oceanos.

O anúncio é uma resposta à petição científica de 2012 por parte do Centro pela Diversidade Biológica que busca a proteção de oito espécies de peixes de recife: o palhaço pércula e sete espécies de donzelas (damselfish) que correm nas águas dos EUA. A lista inclui outro conhecido nosso dos aquários, a donzela-verde (Chromis viridis).

“Está cada vez mais difícil ficar ‘Procurando Nemo’ conforme o aquecimento global e a acidificação dos oceanos destroem os recifes de coral habitat dos palhaços,” disse Shaye Wolf, diretor de ciências climáticas do Centro. “As ações de proteção e redução dos gazes de efeito estufa do ‘Endangered Species Act’ ajudarão a garantir que esses lindos peixes sobrevivam na natureza e não apenas em filmes.”

O palhaço pércula, que habita a região do Triângulo de Coral no Indo-Pacífico, passa a maior parte de sua vida protegido entre os tentáculos de anêmonas nos recifes. As mudanças climáticas e o aumento da acidez nos oceanos, ambos resultados da poluição por dióxido de carbono, ameaçam os recifes e as anêmonas onde o peixe habita. O branqueamento de corais causados pelo aquecimento das águas reduz o tamanho das anêmonas e a quantidade delas. O aquecimento do oceano degrada e destrói os recifes por aumentar a frequência e a intensidade do branqueamento dos coreais, enquanto a acidificação desacelera seu crescimento.

A acidificação dos oceanos também mostrou danificar o olfato e a audição dos peixes-palhaços. Quando expostos aos níveis de CO2 esperados para o final deste século, palhaços jovens se tornaram atraídos pelos seus predadores e são incapazes de encontrar seu lar nos recifes.

A espécie também pode ser ameaçada devido ao mercado de aquarismo marinho. Os EUA são os maiores importadores de peixes ornamentais marinhos do mundo, e o palhaço está entre as espécies mais comuns do mercado mundial.

O National Marine Fisheries Service vai conduzir uma revisão do status para decidir se o peixe-palhaço será protegido nos termos da lei do “U.S. Endangered Species Act”.

Leia mais informações no anúncio. (PDF)

Fonte: Practical Fishkeeping

Amphiprion ocellaris x Amphiprion percula: A espécie Amphiprion ocellaris (CUVIER, 1830) é a mais conhecida dos aquaristas e comumente chamada de falso percula, por apresentar semelhanças anatômicas à espécie Amphiprion percula (LACEPÈDE, 1802), considerada o palhaço verdadeiro. Estes peixes apresentam, em alguma fase da vida, similaridades de cores, confundindo os criadores e pesquisadores. Contudo, a principal característica diagnóstica na anatomia de A. ocellaris é feita pela presença de 11 raios de espinhos na nadadeira dorsal (raramente 10 raios), ao passo que na espécie A. percula possui 10 raios na nadadeira dorsal (raramente 9 raios) (ALLEN, 1997).

Características anatômicas das espécies adultas: peixe palhaço
verdadeiro (Amphiprion percula) à esquerda, e do falso percula (A. ocellaris). Foto: Fishbase

Portanto, é muito importante que o criador de peixes palhaço fique atento para quando adquirir indivíduos juvenis de procedência distintas, não misturar os lotes, de forma que a diferenciação entre Amphiprion ocellaris e A. percula, seja percebida no decorrer do amadurecimento. Só assim ele pode juntar os casais de maneira compatível com cada espécie. Fonte: Amphiprion ocellaris (Peixe Palhaço)

 Colabore conosco ou ajude a aperfeiçoar esse material. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Tradução: Raphael Silveira

 

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre Raphael Silveira

Sou estudante de Ciências da Computação pela Universidade Federal de Viçosa e aquarista desde quando me entendo por gente. Sou fã de todos os tipos de aquários. Atualmente administro a página Aquarismo Viçosa no Facebook.

Veja também

Ex-esposa e seu namorado envenenam aquário marinho

Ex-esposa e seu namorado envenenam aquário marinhoVote neste artigo Aconteceu um caso inusitado e muito …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *