Notícias
Home Opinião Dia das crianças: não presenteie com peixes

Dia das crianças: não presenteie com peixes

Dia das crianças: não presenteie com peixes
5 (100%) 2 votos

O dia das crianças, muitos pais podem estar querendo fugir daqueles presentes tradicionais e optarem por presentear com peixes ornamentais.

Chegando o dia das crianças, muitos e muitos pais podem estar querendo fugir daqueles presentes tradicionais, por vezes repetidos (boneca é tudo boneca, não?!), mas que a mídia massivamente investe bilhões de reais em estratégias de marketing para promover estritamente o consumo, por parte, inclusive, das crianças.

Logo pode surgir a ideia de presentear com peixes/aquários. Já tratamos aqui [link] sobre a doação de peixes em eventos, como dia das crianças, festinhas em colégios, etc., a qual pode ter uma boa intenção, mas ao final levando à mortandade de grande percentual dos ‘peixinhos’.

Acará Bandeira e criança

De forma análoga, o presentar uma criança com um aquário e peixinho, sem haver previamente um interesse por parte dessa, é como se pedíssemos forçosamente para uma criança se divertir com um brinquedo que ela não gosta; e PIOR, pois esse ‘brinquedo’ é vivo e tem sentimento. Sentimento esse que hoje é comprovado pela ciência, defendido através das Comissões de Ética no Uso de Animais (CEUA), e que deve ser defendido, nomeadamente pelos aquaristas quando se trata de peixes ornamentais.

Dia das crianças: não presenteie com peixes ornamentais

Presentear ou não com aquário?

Queremos assim defender aqui que a aquisição de peixes ornamentais e aquários seja levado a sério tanto quanto hoje se exige da adoção de animais de estimação, devendo essa ser responsável! Por que para peixes deveria ser diferente? Portanto para que a criança ganhe um aquário/peixe deve ser motivada minimamente para assim o querer, desejo esse que não é difícil entre os pequenos, principalmente aqueles que visitam ambientes aquáticos (praias, rios, lagos), aquários públicos ou mesmo boas lojas, e porque não a partir de familiares ou amigos aquaristas !?

A curiosidade é nata na criança, mas não deixemos isso virar a única justificativa para merecer um peixe como simples objetivo de “satisfazer a curiosidade”, onde essa satisfeita é “abandonado a própria sorte”, quando não é até descartado incorretamente em qualquer ambiente aquático e provocando inclusive um desequilibro ambiental (introdução de espécies exóticas).

Desse modo deixamos claro que somos militantes no que se refere à divulgação e disseminação do aquarismo, mas de forma consciente e prezando pelo bem estar dos animais aquáticos, tema que perpassa pela educação formal (na escola) e principalmente informal (na família). Então pais ou mães, preparemos melhor nossos aquaristas mirins antes de presenteá-los com peixes e aquários.

Abaixo iremos listar três fatos verídicos publicado no blog Sekai Scaping

Presente de grego no aquarismo
Presente de grego no aquarismo (Créditos Chantal Wagner/Sekai Scaping)
Next Prev

1- Parâmetro inadequado

Criança testando o aquário

Em uma loja que frequento, estavam distribuindo platys em saquinhos, pois era dia das crianças. Obviamente não sou uma criança, mas mesmo assim me ofereceram um platy.

Agradeci, mas respondi que não poderia levar o animal porque não tinha aquário de água alcalina em casa. Não é que o vendedor vira e me fala: “Ahh não, mas este peixe é de água ácida, pode levar!

Além de me forçar o peixe, mentiu descaradamente! Avisei a ele que sabia muito bem que o peixe era de água alcalina e que não iria levá-lo, comigo correu tudo bem, mas e se fosse com outra pessoa que não soubesse sobre o pH?

2- Beteira de plástico

Beteira de plástico
(Créditos Litwin)

Estava em outra loja, olhando a bateria de peixes, nisso uma moça se aproximou, ela segurava uma dessas beteiras que mal cabem um litro de água e falava toda animada com o vendedor: “E você tem certeza que esse tal Betta vive sem bombinha? Porque eu quero dar ele de presente para uma colega do escritório que tirei no amigo secreto e na mesa dela não tem muito espaço”.

Depois que o vendedor confirmou que o peixe vivia sem a bombinha a moça terminou de escolher as coisas para o presente: pedrinhas de cor laranja para o substrato, um sapinho de cerâmica e uma plantinha de plástico “para ficar mais enfeitado” segundo a própria. Quando o vendedor perguntou qual peixe ela queria, a resposta foi rápida: “Pode ser qualquer um desses aí!”.

3- Peixe betta em copo!

Peixe betta em copo
(Créditos XenuLies/Reddit)

Uma vizinha da minha avó, que ficou sabendo que eu tenho aquários, veio me perguntar onde poderia conseguir daqueles “peixes que vivem em copos”, porque iria dar uma festa de aniversário para a filha e queria presentear as amiguinhas com aqueles peixinhos.

Expliquei que se chamavam Bettas e que não viviam em copos e sim em aquários e que não poderia ser qualquer aquarinho pequeno. Ela disse então que isso não era problema, que iria comprar os aquarinhos também, então indiquei uma loja que frequento, mas ainda fiz a ressalva de que era melhor escolher outro presente, pois os peixes precisavam de certos cuidados.

Obviamente que a dita cuja ignorou esta parte, foi lá e comprou peixes e aquários… no dia seguinte ela me encontrou na portaria e veio me contar que os peixes haviam morrido, pois ela esqueceu de tampar os aquários e eles tinham pulado. Não preciso nem dizer a resposta que dei a ela (o horário não permite).

 

Next Prev

Além de tudo isto, tem os casos em que os peixes são deliberadamente soltos na natureza, seja porque o novo dono não gostou, porque bateu nos peixes menores, cresceu muito, destruiu a decoração do aquário ao fazer buracos e arrancar /comer plantas, etc.

Devemos sempre lembrar que a responsabilidade não é apenas de quem dá, mas também de quem aceita. Embora o peso maior esteja com quem dá o presente, a pessoa que o está recebendo sempre pode dizer: “Muito obrigada, mas eu não posso ficar com este animal, não tenho condições de cuidar dele adequadamente.

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre Leopoldo Barreto

Leopoldo Barreto é aquarista desde 1994, formado em Engenharia de Pesca e Mestre em Aquicultura, com o foco em peixes ornamentais marinhos. Doutor em Ciências da Educação pela Universidade do Minho (Portugal), com especialidade em Educação Ambiental e para a sustentabilidade, versando sobre o tema Aquarismo como ferramenta de Educação Ambiental na promoção da competência para a ação.

Veja também

Aquário de visitação – Mocinho ou vilão?

Aquário de visitação – Mocinho ou vilão?5 (100%) 2 votos Aquário de visitação é um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *