Notícias
Home Alagoas Confira como foi o V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura.

Confira como foi o V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura.

Confira como foi o V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura.
Vote neste artigo

Aconteceu no dia 29 a 31 de Agosto um evento em Alagoas para abrilhantar mais o Aquarismo Alagoano, foi o V Seminário Alagoano de Piscicultura e VI Seminário Alagoano de Maricultura, e a A3 não poderia ficar fora desse grande acontecimento.  (No final de post você pode fazer o download da palestra)
Fizeram presentes diversos palestrantes nacionais e internacionais, com empresas relacionadas, além de trabalhos científicos expostos em banners.

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

Fomos no dia 31 de Agosto e vimos à palestra sobre Piscicultura Ornamental com o Mestre em biologia Alberto Oliveira Lima, que está Doutorando em Ciência Animal nos Trópicos. A palestra mostrou como ainda é pouco explorada a piscicultura ornamental no Brasil e principalmente no nordeste, e como pode desenvolver bastante devido ao clima tropical extremamente favorável, além de outras características como os recursos hídricos abundantes, mostrou também como pode ser bastante lucrativo o mercado do Aquarismo.

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

Ainda são poucos que no Brasil se aventuram no cultivo de peixes ornamentais, ocupando apenas a 17º colocação! (2º na América do Sul), indo ao contrário do que muitos pensam, onde as maiorias das criações ainda apresentam criações artesanais. Sendo a Indonésia, Tailândia, Sri Lanka e Filipinas os maiores exportadores de peixes ornamentais, com diversas fazendas dedicadas apenas a piscicultura ornamental, movimentando mais de U$ 200 milhões por ano.

A Piscicultura Ornamental no Brasil apareceu por volta da década de 30 e se expandiu na década de 50, sendo a descoberta do Cardinal (Peixe Neon) o que abriu as portas para a exportação. No Brasil a maior parte da exportação (1,2% na exportação nos produtos pesqueiros) ainda são representadas por espécies oriundas do extrativismo, sendo 22,5 milhões de peixes exportados em 2007 (IBAMA, 2007).

Com relação aos peixes capturados x criados, onde a maioria dos peixes são capturados por apresentarem menor custo do que a sua reprodução em cativeiro e não pela dificuldade apresentada como muitos acreditam como é o caso do Cardinal, outro dado importante que também se aplica ao Peixe Neon, é com relação a sua extinção como de outros, que esta mais ligada ao desmatamento dos seus habitantes do que com sua pesca.

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

Os peixes mais exportados pelo Amazonas são: Paracherodom axelrodi (Peixe Neon) Petitella georgiae (Rodóstomos) Corydora agassiz (Coridora agassiz).

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

 

Também mostrou como simples criações e pesca praticamente artesanal, dão retorno financeiro, onde na baia de Todos os Santos (Bahia) mais de 100 famílias são mantidas por pescadores ornamentais.
Outro ponto importante foi com relação à piscicultura ornamental marinha que ainda é pouco explorada não só no Brasil como no mundo inteiro, mas que já existem alguns países que vem dominando essa técnica como é o caso de Taiwan que já consegue reproduzir o Blue tang, peixe de grande procura e alto valor comercial.

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

Uma curiosidade que vale ser comentada é com relação ao Reino Unido, que além de apresentar o 2º maior mercado do mundo, movimentando cerca de U$31 milhões por ano, metade da sua população tem bichos de estimação, sendo 18 milhões de família criam Goldfish (Peixe Japonês) como Pet, e o mais curioso é que o número de ornamentais mantidos como pet excede e muito o número de cães e gatos.

V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura

Outros países também valem ser lembrados como Singapura, que apresenta a maior exportação de ornamentais ocupando esse rank há 10 anos, já os Estados Unidos que tem o maior mercado consumidor no mundo, possui 356 fazendas dedicadas exclusivamente à piscicultura ornamental, gerando uma receita de U$ 51 milhões com destaque para o Estado da Floria que representa 64% desse montante.
A Espanha é o segundo em exportação de ornamentais, sendo 96% de marinhos, movimentando U$ 27 milhões.
A Itália possui a quarta colocação em manutenção de pet na Europa, tendo um crescimento de gastos de U$45 milhões para U$86 milhões em aquários e acessórios, outro destaque fica para a Alemanha, que além de ser o quarto maior importador do mundo, movimentando U$ 25 milhões, tem tradição desde os anos de 70, e em 2000 já possuíam três milhões de aquaristas, imagina hoje, tendo interesse não puramente ornamental como também científico, sendo o maior do mundo em publicação, tendo mais de 40 títulos editorais específicos na aquariofilia.

Também foi citada a oportunidade ligada a piscicultura ornamental, que é a nova febre entre os aquaristas, o Aquário Plantado, sendo uma grande oportunidade de negócios.
Foram mostrados alguns aquários do Takashi Amano, e lembrados sobre os concursos no mundo como o IAPLC e AGA , e os Nacionais o CPA e CBAP. Fora os diversos encontros/palestras nacionais e regionais como o Encontro de Aquarismo Bauru (EAB), Encontro de Aquaristas de Londrina (Aqualon), e o nosso, o EAA – Encontro de Aquarismo de Alagoano que vai pra sua 3º edição em novembro deste ano.

Psicultura-Ornamental-014
Psicultura-Ornamental-014
Psicultura-Ornamental-014
Psicultura-Ornamental-014
V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura
Alberto Lima V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura
V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura
V Seminário Alagoano de Piscicultura e o VI de Maricultura
“A aquicultura ornamental é uma atividade de importância econômica uma vez que pode ser conduzida em regime familiar, gerando renda e servindo como opção para manter a população rural no campo.O setor público brasileiro precisa buscar mais informação para que possa instituir políticas que estimulem o desenvolvimento da atividade de maneira sustentável, sob os aspectos econômico, social e ambiental. O setor privado também deveria buscar informações que possibilitassem investimentos na cadeia produtiva, o que ajudaria a fortalecer a produção de peixes ornamentais no território nacional.”  – RENATO, Cardoso 2011

 Apresentação da Palestra sobre Aquicultura Ornamental

A equipe AquaA3 agradece a disponibilidade do Sebrae Alagoas em nos receber, e a gentileza do Biólogo Alberto Oliveira Lima que nos cedeu o arquivo da apresentação e ainda teve um tempinho para um ótimo papo.

Sintam-se à vontade para corrigir, complementar e compartilhar a sua experiência conosco. Utilize o campo de comentários para tirar dúvidas e interagir sobre esse assunto. Faça parte deste time, colabore conosco!

Sobre André Albuquerque

Analista de mídias sociais e aquarista desde os 6 anos. Meu falecido irmão tinha uma carcaça da geladeira onde havia muitos peixes e plantas, tudo aquilo brilhava nos meus olhos, até hoje tenho o suporte de aquário que ele me deu. Magia é ver as plantas crescendo e todo tipo de fauna se reproduzindo dentro de uma caixa de vidro.

Veja também

Homem usou carrinho de bebê para roubar tubarão

Homem usou carrinho de bebê para roubar tubarão5 (100%) 2 votos Homem usou carrinho de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *